#Blog

navegue pelos jobs, tags ou busque aqui o que procura ;)

Apresentações de negócios: 5 Coisas que o U2 pode ensinar a você
Por Agência Cadaris
22/02/2018

Os últimos shows do U2 no Brasil foram no longínquo outubro de 2017, e mesmo bem fora do deadline proposto, ainda vale esse meu post. Assim como a Maris já falou por aqui, além de todo entretenimento do show, percebi que o U2 ensina muito sobre como lidar com o público e fazer apresentações de negócios de sucesso. A estrutura do próprio show dá dicas valiosas sobre o tema, duvida?

 

Mas antes de começar, esqueça que o Bono é mala e ouça essa playlist especial no Spotify – em ordem aleatória.

 

#1: Conheça seu público e contextualize a situação

A banda existe há milianos e tem diversos públicos, de criança a membro de fã clube, assim como em uma apresentação de empresa que tem presente desde o estagiário ao membro da diretoria. Então, o primeiro passo é explanar sobre o cenário e colocar todos no mesmo patamar.

Como a turnê em questão era comemorativa do seu 5º álbum, The Joshua Tree, eles abrem o show contextualizando o que era o U2 na época, com duas dobradinhas de hits dos álbuns anterior ao Joshua. Uma forma de contextualizar e encantar o público, que já está na expectativa para isso.

Em apresentações de negócios, isso é feito com informações de background, overview dos últimos meses, etc. Mas o importante aqui é encantar o público logo de cara, criando receptividade para que ele fique com você ao longo de toda a apresentação.

 

#2: Apresentações de negócios precisam de firmeza

Depois do background e do encantamento inicial, vem o corpo da coisa, o por quê de estarmos aqui. O U2 manda o The Joshua Tree na íntegra, na mesma ordem das músicas do disco. Ajuda, claro, o álbum já começar com seus 4 principais hits. Então, não tem erro, não precisa nem de apelo visual. Um fundo vermelho, a banda nua e crua, e a música brilha.

É a hora da apresentação onde você mostra sua ideia, com suas palavras, sem ler slide. É o motivo da reunião, então seja você mesmo e confie no que está falando.

 

#3: É chato? Seja visual

A cenografia aqui entra em ação. O lado B do Joshua é aquele que só fã-que-é-fã mesmo conhece, então, para não perder a grande maioria do estádio lotado, entra em cena o telão com as imagens produzidas pel mestre Anton Corbijn (aproveite e conheça todo o trabalho do cara), que te hipnotizam a ponto de você não querer perder nada.

No caso de apresentações de negócios, as imagens e efeitos visuais, que são importantes para reter a atenção do público, principalmente se a informação for considerada ‘chata’, como preços, etc.

 

#4: Mantenha o encantamento

Aqui está o que você pediu, mas a gente pensou um pouco além, sabe? O Joshua acaba e o U2 pinça três sucessos recentes para levar o astral lá pra cima, com fogos, luzes, confetes, e tudo mais que tiver direito para ninguém pensar em ir ao banheiro.

Sua ideia é legal, então mostre como aplica-la; e mostre isso da melhor maneira possível, com exemplos, projeções de resultados, expectativas lá em cima. Tanto essa dica quanto a anterior, o lance é o mesmo: encantamento. Nunca foque numa só pessoa da sala, lembre-se sempre de que a apresentação é para todos que estão ali e a atenção precisa ser retida.

 

#5: Conclua engajando

Let’s rock, amigos! Pega a bandeira do Brasil do cara do gargarejo, coloca nas costas, solta um “Obrigado, até a próxima!” e vamos festejar. Não à toa o U2 tem lugar cativo na lista das turnês mais bem-sucedidas da história. É ter produto bom nas mãos e torna-lo ótimo pela maneira que você o apresenta.

Não basta uma boa ideia. É preciso saber defende-la, com argumentos e ponderações; é colocar seu público no mesmo cenário; é contextualizar a todos da situação; é apresentar de maneira impactante e atrativa; é acreditar no que você está apresentando.

Veja também:

veja mais

Contato Rápido!

Fechar