#Blog

navegue pelos jobs, tags ou busque aqui o que procura ;)

Informação relevante é algo relativo | Rodrigo Rezende
Por Agência Cadaris
13/04/2018

Informação relevante é algo relativo. Muita gente saca isso, mas não usa no dia a dia. Nem quando busca informação sobre alguma coisa nem quando emite uma informação a alguém. A gente que trabalha com comunicação tem que pensar nisso o tempo todo. Ou pelo menos deveria.

E aqui no blog da agência temos espaço e liberdade para viajar no tema. Vamos lá, vai ser breve.

Imagine o número R$ 5 milhões. A princípio não diz muita coisa se for apresentado sozinho, mas certamente faz os olhos de muita gente brilharem. Já pensou essa grana toda na sua conta do banco hoje?

Bem, se você não for o Cristiano Ronaldo, por exemplo, já deu até pra pensar numa viagem rápida ou na possibilidade de comprar uma casa nova, não foi?

Pois é, R$ 5 milhões é quase o total do custo da violação de dados no Brasil, em 2017, segundo uma consultoria norte-americana. Mas o que isso significa? Como saber se isso é muito ou se é pouco? A gente sabe que é muito, pois aqui na casa temos clientes do setor de TI e, por isso, nosso time pesquisa muito esses assuntos.

Porém não basta só apresentar algum complemento qualquer para explicar o número. Ir além é possível e recomendável.

Informação relevante deve ficar evidente

O ideal, na comunicação, é sempre comparar a informação com alguma coisa, exemplificar etc. Isso para evidenciar e ressaltar a sua relevância. Outro bom exemplo é quando, em comunicação corporativa, abordamos temas de economia de água – um tipo de assunto recorrente, atual e super abordado, principalmente nas indústrias.

A fonte passa o dado: “economizamos tantos mil/milhões de metros cúbicos com essa iniciativa”. Não adianta o redator escrever apenas isso na sua peça. Tem que brincar, ousar, criar, talvez pensar como roteirista de desenho animado.

Tipo: “com essa quantidade daria para encher tantas piscinas olímpicas ou suprir a necessidade básica de água de um casal por tantos meses ou anos”. Pode até brincar, às vezes com coisas mais ou menos ousadas. Como comparar a quantidade de água com outras coisas, como “equivalente a xx mil latinhas de cerveja, o que daria para atender ao consumo de xxx festivais de rock realizados num estádio do tamanho do Morumbi”.

Sacou a importância da comparação para esclarecimento da relevância? Isso dá para usar no trabalho e na vida pessoal. Até mesmo numa conversa com amigos ou familiares. Ah, e sempre considerar o público-alvo. Algo relevante para Ciclano pode ter importância zero para Fulano.

Encontro você aqui no mês que vem!

Veja também:

veja mais

Contato Rápido!

Fechar