#Blog

navegue pelos jobs, tags ou busque aqui o que procura ;)

Maris Harada | Ócio criativo: vai nessa que vale à pena!
Por Maris Harada
24/07/2017

Aproveitando o gancho que  estou de férias, vou falar sobre o ócio criativo. Este é um conceito criado na década de 90 pelo sociólogo italiano Domenico de Masi, ex-workaholic, que reexaminou a relação entre trabalho, estudo e lazer para criar no ambiente corporativo pós-industrial espaço para criatividade e produtividade.

Ele explica que existem dois tipos de ócio: um alienante, que nos faz sentir vazios e inúteis, e outro criativo, que nos faz sentir livres e preparados para a produção de ideias. E as ideias, sejamos honestos, são essenciais ao desenvolvimento de qualquer sociedade.

Em seu livro O Ócio Criativo, Masi demonstra como alegria e satisfação pessoal no dia a dia aumentam a criatividade, que por sua vez faz crescer o potencial de imaginação necessário a um melhor desempenho produtivo no trabalho.(Via © obvious: goo.gl/vifiis)

Domenico de Masi prega que devemos dedicar tempo à diversão tanto quanto nas outras duas frentes. “Com trabalho, estudo e diversão, construiremos nossa identidade, não mais pelo que temos, mas através do que sabemos”, recomenda.

O que eu proponho aqui não é necessariamente fiel ao conceito do sociólogo italiano, mas é uma maneira de criar tempo para o ócio criativo no seu dia a dia. Ocupado, todo mundo é. Mas vou listar aqui algumas dicas para vocês verem como dá.

  1. Fique atento aos atrativos ao seu redor

No meu dia a dia, eu saio muito para reuniões externas, da represa da Guarapiranga ao Itaquerão (Eca!!! Eca monster!!!). Que tal aproveitar esses passeios para conhecer coisas novas? Museus, restaurantes, praças, etc. Observe as pessoas, seus hábitos, converse com quem for. Certamente, alguma coisa de novo você vai aprender. Eu, por exemplo, toda vez que estou pela Paulista, dou um pulinho no Masp, no Trianon, no Conjunto Nacional e, agora, na Japan House, nem que seja para um cafezinho. Quando eu não conheço nada por perto, eu dou uma fuçada no Foursquare. Nada como dicas de outras pessoas para nos ajudar.

Aqui, por exemplo, eu estava com a Márcia Almeida, gerente de RH da Colgate, aproveitando o almoço no restaurante do Miss, na pausa de um simpósio sobre Mídias Sociais. Foi neste momento de ócio criativo (ainda que minúsculo) que conhecemos a Beth Lo, fundadora da ONG Rapunzel Solidária, e decidimos abraçar a sua causa. A instituição já recebeu muitas madeixas, como fruto desse encontro, inclusive as nossas (um ano depois…).

  1. Sai pra rua e vai tomar um sol!

Buscar energias caminhando no solzinho é uma das minhas maneiras prediletas de esfriar a cuca. Só por isso eu não posso morar em Londres… Sempre que possível aproveito a hora do almoço para dar uma fuçada nas lojinhas da Domingos de Moraes, ir até uma farmácia mais longe para prorrogar a fotossíntese ou tomar um cafezinho ao ar livre. Na Borges Lagoa, tem um restaurante vegetariano com cafezinho fresquinho o tempo todo e um banco na frente pra tomar sol. Adoro. Ou ainda paro num parque ou praça, quando passo por perto e estou em meu momento de descanso. Nem que a paradinha seja de 20 minutinhos.

Como a Cadaris é perto do Ibira, meu lugar predileto para essa pausa é o Viveiro Manequinho. Há anos eu não vou lá… Preciso arranjar uma reunião com alguém que curta natureza, urgente, rs rs rs.

  1. Faça pesquisas de campo

Ao invés de delegar o trabalho de criação de personas para agências e funcionários, que tal ver seu público-alvo ao vivo e em cores? Isso sempre muda minhas perspectivas, não só para o job em questão como para muitos outros… Por quê? Isso se chama VIDA!

Eu vou em shopping, consultório dentário, exposição de arte, loja de moto, atrás de caminhão de lixo, testo brinquedos radicais, como chocolate, bebo vinho (hummmmm), o que for. Sempre respeitando, claro, meus limites físicos e psicológicos, rs rs rs. Essa é uma excelente maneira de trabalhar e se divertir.

Uma vez, eu tive que sair correndo de um shopping pela rua com o segurança atrás de mim porque fotografei algo que não podia ser fotografado.

  1. Aproveite a mente ampliada

Minha última dica é NÃO DESPERDICE o espaço que você gerou na sua mente com tarefas maçantes, respondendo e-mails, por exemplo. Em entrevista para o portal da Exame, Alexandre Teixeira, autor de Rotinas Criativas, alerta: não gaste esta oportunidade com tarefas automáticas e reativas. Segundo ele – e eu concordo totalmente – devemos aproveitar esses momentos para nos dedicarmos a atividades que demandam criatividade, tais como redigir artigos, preparar apresentações ou organizar as ideias de um projeto.

A entrevista do Teixeira refere-se, na verdade, ao horário nobre do organismo, quando acabamos de acordar, mas serve perfeitamente para este meu artigo. E para quem acha importante zerar a caixa de entrada, o autor explica: “Um usuário médio recebe 147 e-mails por dia, dos quais 71 são irrelevantes. O tempo que gasta apagando mensagens inúteis soma 16 horas por ano — o equivalente a dois dias de trabalho inteiros só apertando o botão “deletar”. Além de começar o dia com estresse, esse hábito é um atentado contra o seu rendimento no trabalho. Via portal exame: goo.gl/7UBSnF

Pense nisso! Trabalhemos todos os dias, pelo menos um poquinho, para tornar o mundo de quem está ao nosso redor um tantinho mais interessante.

OBS.: Eu tenho a mania de relaxar com games. Por experiência própria, aqui vai um conselho: joguinhos de celular são alienantes e viciantes (larga isso, pelo amor…); já videogame, desenvolve visão holística, raciocínio rápido, tomada de decisões, estratégia, cuidado apenas com a adrenalina…

Quem quiser dar dicas de assuntos ou tem alguma dúvida, é só mandar inbox para a Agência Cadaris ou por e-mail cadaris@cadaris.com.br.

Obrigada pela leitura!

Até a próxima semana.

Maris

\o/\o/

Veja também:

veja mais

Contato Rápido!

Fechar